Cinquenta advogados-gerais estão ingressando em uma investigação contra o Google sobre possíveis violações antitruste. O anúncio foi feito nessa última segunda-feira (09/09) pelo procurador-geral do Texas, Ken Paxton, líder da iniciativa.

A investigação inclui advogados gerais de 48 estados, o Distrito de Columbia e Porto Rico. “A Califórnia e o Alabama não estão envolvidos na investigação”, disse Paxton em entrevista coletiva.

Outros advogados-gerais da conferência de imprensa enfatizaram o domínio do Google no mercado publicitário e o uso de dados do consumidor.

“Quando não há mais mercado livre ou concorrência, isso aumenta os preços, mesmo quando algo é comercializado como livre e prejudica os consumidores”, falou a procuradora-geral da Flórida, Ashley Moody. “Existe algo realmente gratuito se estamos cada vez mais cedendo nossas informações de privacidade? É algo realmente gratuito se os preços dos anúncios online subirem com base no controle de uma empresa?”, completou.

As ações da Alphabet, empresa controladora do Google, caíram cerca de 0,9% após o anúncio. Quando procurado para comentar, um porta-voz do Google apontou para um post da empresa publicado sexta-feira. Nele, reconheceu ter recebido pedidos de informações do Departamento de Justiça sobre suas práticas comerciais e espera que “os procuradores gerais do Estado façam perguntas semelhantes”.

Investigação no Facebook

Uma investigação antitruste no Facebook foi anunciada na sexta-feira (06/09) pela procuradora-geral de Nova York, Letitia James, que liderará o caso. Procuradores-gerais de sete estados e do Distrito de Columbia estão participando da investigação do Facebook. “Vamos usar todas as ferramentas de investigação que estiverem à nossa disposição. Mesmo a maior plataforma de mídia social do mundo deve seguir as leis e respeitar os consumidores”, disse Letitia.

O subcomitê da Câmara dos Estados Unidos que é focado em leis antitruste vai realizar uma audiência na quinta-feira, 12/09, para avaliar o impacto do uso de dados e privacidade sobre a concorrência.

Coalizão

Os outros estados que estão investigando o Facebook são Colorado, Flórida, Iowa, Nebraska, Carolina do Norte, Ohio, Tennessee e o distrito de Columbia, de acordo com o comunicado. O Facebook já está sendo investigado pelo estado de Nova York sobre a coleta não autorizada de e-mails de 1,5 milhão de usuários sem sua permissão durante um processo de verificação de cadastro de novos inscritos.

Alguns críticos pediram que os agentes antitruste desmembrassem a empresa. O presidente da FTC —Federal Trade Commission, agência independente dos EUA pela defesa do consumidor — disse que está preparado para fazer isso com ela ou qualquer grande plataforma de tecnologia se necessário. Os críticos pediram pela separação de aquisições de aplicativos como o Instagram e o Whatsapp.