Alguns bancos ainda não informaram novos valores; começam a valer a partir da segunda-feira (4)

SÃO PAULO – O Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou nesta quarta-feira (30) mais um corte na taxa básica de juros, a Selic: de 5,5% ao ano para 5% ao ano.

A terceira redução consecutiva era amplamente esperada pelo mercado. As expectativas de inflação para 2019, 2020, 2021 e 2022 encontram-se em torno de 3,3%, 3,6%, 3,75% e 3,5%, respectivamente, segundo dados da pesquisa Focus.

Em meio a esse novo ciclo, alguns bancos seguiram a decisão do Copom e anunciaram a redução de  taxas de juros em suas principais linhas de crédito.

Itaú

O Itaú Unibanco informou que repassará integralmente o corte de 0,5 ponto percentual da Selic em linhas de crédito para clientes pessoa física e empresas.

A redução para pessoa física será no empréstimo pessoal, enquanto para pessoa jurídica será no capital de giro.

Os novos valores passam a valer a partir de segunda-feira (4) e variam de acordo com o perfil do cliente e de seu relacionamento com o banco. Os percentuais de corte ainda não foram revelados.

Bradesco

O banco também reduzirá as taxas de juros de suas principais linhas de crédito a partir de segunda-feira (4). No entanto, não revelou os novos valores.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil informou que os custos dos financiamentos ficam menores para clientes pessoas física e jurídica em diferentes segmentos, incluindo imobiliário e agronegócio. As novas condições também entram em vigor a partir da próxima segunda-feira (4).

Para a linha BB Crédito Veículos, que financia a aquisição de veículos leves novos, a taxa será reduzida de 0,77% para 0,60% ao mês na faixa mínima.

A aquisição de imóveis nas linhas Carteira Hipotecária e Sistema Financeiro da Habitação (SFH) terão as taxas diminuídas.  “As modalidades as taxas variam de acordo com o prazo da operação e o perfil do cliente – o que pode reduzir o custo desses financiamentos em até 0,82 ponto percentual ao ano”, segundo o banco.

Leia também:
• Selic a 5% ao ano: como ficam os retornos em renda fixa?
• As ações que mais ganham com o corte dos juros

Para as pessoas jurídicas, a linha desconto de cheque terá taxas mínimas de 1,27% ao mês, ante 1,31%, enquanto as máximas flutuarão de 3,21% para 3,17% ao mês.

Para a modalidade desconto de títulos, as taxas mínimas passarão dos atuais 1,12% para 1,08% ao mês e as máximas de 3,01% para 2,97% ao mês. As taxas referem-se a operações com prazos de 45 dias.

Os juros para a linha BB Giro Digital passarão de 2,77% para 2,73% ao mês, e a máxima passará do atuais 4,72% para 4,68% ao mês.

Caixa Econômica Federal

A Caixa anunciou mais cedo nesta quarta-feira (30) a redução da taxa de financiamento imobiliário para 6,75% + TR, ante 7,5% + TR. Novos valores começam a valer a partir de 6 de novembro.

Também buscou-se o contato com o Santander, mas até o momento da publicação desta matéria, o banco não informou se vai reduzir taxas.